ENSINO E APRENDIZAGEM
DA ESAN

ESAN.jpg
2f5d0a0c-d7ea-4307-a988-38c3e63b77ad.webp
Ensinamentos atemporais num mundo em transição

     Nossa proposta de formação técnica foca o planejamento dos propósitos, conteúdos e métodos relacionados diretamente à educação, que cumprirá objetivos sociais e humanitários, que consiste em ofertar um ensino profissionalizante de qualidade para os cidadãos brasileiros, contribuindo para a emancipação dos sujeitos por meio de formação técnico-humanística, ou seja, uma formação profissional feita de forma integrada e articulada pedagogicamente entre os diversos eixos tecnológicos, priorizando a interdisciplinaridade entre os componentes curriculares e relacionando a teoria e a prática no ensino de cada disciplina.

      Os conteúdos e saberes do cotidiano, permitirão ao discente ser um profissional capaz de compreender e transformar a realidade, dialogando também com as demandas do mundo do trabalho e o contexto de sua região. A sociedade atual demanda uma ciência integrada às novas demandas do mercado: uso das novas tecnologias, novos parâmetros ambientais e novas possibilidades de inserção social, considerando, principalmente, a demanda por ações de responsabilidade social.

      O processo de Ensino-aprendizagem e a epítome da ESAN, fundamentada na andragogia e na Heutagogia, utiliza os melhores conceitos das teorias do processo ensino-aprendizagem proposta pedagógica tecnicista, vanguardista, como:

       As inteligências múltiplas (lógico-matemático, interpessoal, intrapessoal, linguística, música, espacial, corporal-cenestésica, naturalista), onde se valoriza uma inteligência global a partir dos diferentes tipos de inteligências em diferentes graus de capacidade, acreditamos como "Howard Gardner" que o pensamento humano é completo e complexo, e a inteligência é uma função que transpassa a resolução de problemas lógico-matemáticos ou linguísticos. Assim todos os seres humanos possuem capacidades em distintas áreas e níveis do desenvolvimento sociocognitivo, reconhecemos que as diferentes potencialidades dos alunos devem ser fomentadas de diferentes maneiras, atendendo as necessidades dos indivíduos e meio em que vivem e para isso procuraremos aplicar todos os meios auxiliares e metodologias possíveis, atuais e inovadores.

     Assim sendo nossa proposta compreende uma formação com tecnologias associadas à melhoria da qualidade de vida, à preservação e utilização da natureza, desenvolvimento e inovação do aparato tecnológico de suporte e atenção à saúde. Abrangendo ações de proteção e preservação dos seres vivos e dos recursos ambientais, da segurança de pessoas e comunidades, do controle e avaliação de risco, programas de educação voltados a saúde e o bem estar do ser humano. Sempre focada no trabalho, na pesquisa e inovação tecnológica, constante atualização e capacitação, fundamentadas nas ciências da vida, nas tecnologias físicas e nos processos gerenciais, ligados as  características de cada eixo tecnológico.

     

       A Escola de Saúde Agulhas Negras, defende:

     - Uma educação alinhada ao acolhimento de todos os que nos à buscam, e propõe-se a educação inclusiva, focando o  desenvolvimento de ações conjuntas nos panoramas político, cultural, social e pedagógico, materializadas como garantia de direito de todos os alunos a ter acesso ao conhecimento sistematizado pela humanidade, aprendendo e participando, sem nenhum tipo de discriminação ou exclusão.

      - Uma formação de profissionais que coloquem, prioritariamente, em suas ações, a ciência, a tecnologia e a ética a serviço da vida. Com a ética a serviço da vida, visando o respeito ao comprometimento com a vida humana em quaisquer condições, independentemente da fase do ciclo vital, do gênero a que pertença ou do posicionamento do aluno na pirâmide social.  

      - A Indissociabilidade entre a teoria e a prática do conhecimento técnico profissional e a difusão de conhecimentos, promovendo atividades e eventos para a troca de conhecimentos científicos, técnicos e experienciais, trazendo contribuições fundamentais e assim fomentando de ações que objetivam a inclusão do “Jovem Técnico” na cadeia produtiva, gerando emprego-renda e produção de conhecimento, atuando de forma decisiva para a contribuição da transformação da sociedade.

        Combinamos o ensino tradicional com o inovador, aplicando métodos como: Metodologia Ativa, Steam, Ensino Hibrido e Movimento Maker. 

        A Metodologia Ativa traz o aluno para o centro do processo e torna o professor um mediador. Além disso, busca a união entre tecnologia e educação, pois o mundo virtual desempenha um papel importante no desenvolvimento do aluno, auxiliando com atividades e dinâmicas como: visitas, projetos, games, estudos, exercícios e pesquisas. 

         A Steam prioriza trabalhar de forma interdisciplinar e transdisciplinarmente para que todos os conceitos tenham sentido, contribuindo para o aluno ter uma visão mais rica do que está sendo estudado.

      O Ensino Hibrido destaca-se pelo foco em integrar o mundo físico com o digital, adotando duas dinâmicas para o desenvolvimento do aprendizado, uma com foco na apresentação de conteúdo presencial e, ao mesmo tempo, são feitas atividades em que a tecnologia contribui para a aquisição de conhecimento.

           Com o método movimento maker, podemos associar várias disciplinas e vários docentes em um projeto. 

           Sendo todos pautados na  Andragogia, que foca na educação para adultos com a finalidade de buscar uma aprendizagem efetiva para o desenvolvimento de habilidades e conhecimento.  Oportuniza métodos como na Heutagogia,  onde a aprendizagem é autodirecionada em que o aluno é o gestor e programador de seu próprio processo de aprendizagem através do autodidatismo, autodisciplina e auto-organização.     

    Grande Desafio ESAN:

     - Formar cidadãos em profissionais que sejam capazes de lidar mudanças constantes, avanços tecnológicos diversos e com a rapidez da produção dos conhecimentos científicos e técnicos, com sua transferência e aplicabilidade na sociedade em geral e no mundo do trabalho atual globalizado.

     - Profissionais capazes de lidar com o avanço da ciência e da tecnologia e dele participar de forma proativa da sua formação científico–tecnológico–humanística de maneira e forma sólida, flexibilidade, tangível e palpada nas mudanças, educação continuada e na valorização do ser humano. Bem como aos princípios didáticos inovadores como a flexibilidade e adaptação, participação ativa, produtividade e busca pela satisfação, consciência da autoaprendizagem e o clima de confiança da comunidade escolar.  Realizando a adaptação de critérios e princípios do planejamento didático com um olhar flexível que, através das metodologias e da avaliação, possam tecer um processo de ensino-aprendizagem mais significativo e com respostas às demandas educativas reais dos dias atuais. Com o emprego das TICs no currículo, seremos  capazes de proporcionar a inter-relação entre as diferentes áreas de conhecimento, fomentando uma aprendizagem relacionada com temas cotidianos.  

      - Seguir a teoria curricular, classificada no grupo da corrente curriculares, como “pós-crítica”, um currículo classificado como “inclusivo” e flexível, oferecendo características como identidade, multiplicidade, interculturalidade e subjetividade. Alinhado às novas demandas e tendências, que nos levam diariamente a se adequar e reinventar os processos de ensino-aprendizagem, como: as novas tecnologias, “e-learning”, “blended learning”, ensino digital, flipped Classroom,  plataformas educativas, simuladores, “online teacher”, robótica e a gamificação (“gamification”).

     - Construir uma formação profissional,  em que o conhecimento clínico e científico não seja o único referencial no momento do cuidado. O conhecimento científico não pode estar dissociado da ética e da escuta das necessidades da mais variada natureza que as pessoas possam apresentar. Tendo para a construção do pensamento crítico e reflexivo a necessidade de se indagar sobre a integralidade que será  a atitude no cuidado profissional,  concretizando o cotidiano dos serviços.

      - Formar o “Jovem Técnico”  que seja um cidadão competitivo, além de histórico-crítico, combine sólida base científica com compromisso ético-político, e que possua uma formação estética que vá além da linguagem simbólica, incluindo a educação dos sentidos e da sensibilidade (saber ver, ouvir, sentir etc.) e seja capaz de assumir seu papel como agente na transformação, capaz de discernir entre procedimentos e tecnologias que contribuam para o aumento ou diminuição das desigualdades sociais;  fomentando uma “Profissionalização Sustentável”, e que possua capacidade de atualização e o de acompanhamento da transformação, na realidade em que está inserido e além disso busque a garantia dos direitos sociais dos trabalhadores de modo geral, contribuindo para uma sociedade que tenha como princípios básicos a igualdade, a solidariedade e a sustentabilidade.

selomec.png